Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

mar

literatura, cinema e afins

mar

literatura, cinema e afins

Qua | 01.08.18

Literatura | Opinião: "Ameaça de um Anjo", de Patrícia Lourenço Ferreira

Mar Pereira

123.jpg

Título: Ameaça de um Anjo

Autor(a): Patrícia Lourenço Ferreira

Edição: 2017

Editora: Chiado Editora

ISBN: 9789895196043

Sinopse: "Elena Cam sentia que não se encaixava em Angels, sempre se sentiu uma estranha até mesmo no seu próprio corpo. Até que foi salva por um desconhecido que mudou a sua vida por completo.
Apareceu-lhe tatuagens e poderes afectando a sua vida e a dos seus amigos, Bella e os gémeos, Landon e Justin.
Aquilo que começara por parecer algo estranho e ao mesmo tempo fantástico começou a ser ameaçado por uma figura desconhecida, que a perseguiria. Seria aquele que a salvara estaria pronto para a matar? Porque daria ao trabalho de a salvar para depois a perseguir?
Ao descobrir que era uma Nephilim, metade anjo metade humana, começa a desconfiar de Ethan Fallen que mudara-se para Angels no momento em que se transformara. Ethan era um ser misterioso e apesar de ela não confiar nele, sentia-se atraída por ele. Quando Elena descobre que faz parte de uma profecia antiga, ela tem que decidir se pode sacrificar a sua vida e a dos seus amigos para apanhar a pessoa que ameaçava a sua vida.
Ameaça de Um Anjo é o começo da Saga da Profecia da Luz e da Escuridão."

XXXXx.png

 Recebi uma cópia do livro, em formato digital, por parte da autora, em troca de uma crítica honesta.

 

Sobrenatural e paranormal não são, de todo, géneros literários que aprecie. De facto, coisas como Twilight, Hush, Hush ou Fallen não são leituras que, à partida, vá gostar ou, de algum modo, aproveitar. Era, portanto, pouco provável que a minha opinião fosse mudar com a leitura de Ameaça de um Anjo, mas, ainda assim, decidi dar-lhe uma oportunidade já que, por um lado, falava com a autora diversas vezes pelo Instagram e porque é raro vermos autores portugueses a apostar no género fantástico, embora existam diversos nomes nacionais já conceituados nesse ramo da literatura.

Embora seja catalogado como fantástico, este livro acaba também por se debruçar muito no romance e situação romântica da personagem principal o que, por vezes, se tornou uma injeção demasiado forte de momentos melosos. Além disso, a relação que surge tende a cair para o cliché.

Falando da personagem principal, também não posso dizer que fiquei fã da Elena, que é o espelho da típica rapariga que, coitada, tem meio mundo atrás dela, embora não seja propriamente popular, e é uma durona: Amor? O que é isso? Come-se? Eu cá não me apaixono por ninguém! 

Quanto às restantes personagens, também não tenho grandes elogios a fazer. Achei-as, de certo modo, um tanto chatas e, em alguns casos, mal exploradas.

Quanto à escrita da Patrícia, e tendo em conta que este livro foi escrito quando a autora tinha 16/17 anos, não se pode esperar algo digno de um Nobel, mas, ainda assim, vê-se nela um excelente potencial de crescimento. Apesar de, diversas vezes, ela se basear demasiado na descrição, descrevendo tudo e mais alguma coisa, fazendo a leitura cair, por vezes, num ritmo lento e desinteressante. É a tal regra: show, don't tell. Existem alguns erros que, caso o livro tivesse sido revisado, pela autora ou pela editora, fariam a leitura tornar-se bastante melhor. Deixo-vos alguns exemplos (não consigo indicar as páginas porque o livro desformatou no formato epub)

– A tua mãe já tinha-se casado? – Perguntou-me curioso."

– Eles conseguiram encontrar um anjo caído que andava a séculos a procura de família (...)"

 

Além disso, existem diálogos completamente descabidos, a roçar o estúpido. Peço imensa desculpa, mas não existe outro adjetivo que possa ser aplicado neste caso...

– Bella, eu acho que consigo ler mentes.

– Tu?

– Eu!

– Não! – Disse ela de boca aberta.

– Sim!

– Não pode!

– Pode – disse e antes que ela se passasse, acrescentei – acho!"

 

Algo que, a mim, me fez particular impressão foi o tamanho dos capítulos. Existem capítulos demasiado longos. Aquela que podia ser uma leitura feita com um certo ritmo acaba por ser feita mais lentamente porque, no final de um capítulo de 30/40 páginas, tudo o que nos apetece fazer é pousar o livro. Reparem, este livro tem quase 600 páginas (580, na realidade) e apenas 22 capítulos, o que dá, em média, capítulos com a duração de 26 páginas. Claro que cada autor decide o que fazer com a sua escrita, mas, na pele de leitora, os capítulos longos são, sim, algo que incomoda, sobretudo quando não estamos a gostar especialmente do livro. Ao longo dos capítulos, existem diversos pontos de vista, algo que, na minha opinião, não acrescentou grande coisa ao enredo. Diversas vezes parecia que, apesar de estarmos a ler coisas pela mente de personagens diferentes, os pontos de vista acabavam todos por ser iguais ou similares. 

O final do livro é interessante e, realmente, está aqui uma boa base para uma saga que pode evoluir para algo bem mais interessante que este Ameaça de um Anjo. Possivelmente, o livro não resulto comigo porque, efetivamete, eu não sou fã deste género literário e, por esse motivo, não posso dizer que fiquei desiludida com o livro. Desejo a maior das sortes à Patrícia e ao seu livro!

XXXXx.png

★★☆☆☆

2/5 - Razoável

 

Sigam a autora nas redes sociais para ficarem a par das suas novidades livrescas!

Instagram / Blogue / Youtube

 

 Até breve! 😊

instagram | twittergoodreads | mareads21@gmail.com