Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

mar

literatura, cinema e afins

mar

literatura, cinema e afins

Dom | 08.07.18

Cinema | Opinião: "Mary Shelley"

Mar Pereira

123.jpg

Título: Mary Shelley

Ano: 2018

Género: BiografiaDrama, Romance

Diretor(a): Haifaa Al-Mansour

Principais Atores:  Elle FanningMaisie WilliamsTom Sturridge, Douglas Booth

IMDb: 6,3/10

Sinopse: "A história de Mary Wollstonecraft Godwin - autora de Frankenstein, um dos romances góticos mais famosos de sempre - e a sua intensa e tempestuosa relação com o conhecido poeta romântico Percy Blysshe Shelley

Mary e Percy apaixonam-se, e para horror da família de Mary, decidem fugir juntos. Os dois sentem-se marginais em espírito, afastados da sociedade opressiva e controladora onde vivem, mas unidos por uma química natural e ideias progressivas que vão muito além dos limites da sua era e idade. Durante a sua estadia na casa de Lord Byron no Lago Genebra, onde a relação entre eles vai ficando mais tensa e complicada, a ideia para a criação de Frankestein toma forma quando um desafio é lançado a todos os hóspedes para criarem um conto de terror. Assim é criada uma personagem incrível, cujo legado vai impor-se sobre a cultura popular durante os séculos seguintes. No entanto, a sociedade daquele tempo não está ainda preparada para aceitar e reconhecer o valor de mulheres escritoras, e com apenas 18 anos Mary é forçada a confrontar-se com estes preconceitos, tanto para proteger o seu trabalho como para forjar a sua identidade." (SAPO Mag)

XXXXx.pngSabia muito pouco sobre Mary Shelley, devo ser sincera. Claro que conhecia a sua obra Frankenstein, que, desde já, estou ansiosa para ler, mas sobre a sua vida eram poucos os factos que conhecia.

Filha de duas notáveis personalidades - William Godwin, filósofo e escritor, e Mary Wollstonecraft, escritora e defensora dos direitos das mulheres -, Mary Shelley viveu uma vida um tanto atribulada. Viajou muito, viveu uma paixão efervescente, lidou com a morte de três filhos, viu passar por si a solidão e a tristeza.

Ninguém pode negar que esta senhora foi uma revolucionária na literatura. Com o seu Frankenstein (ou The Modern Prometheus), criado há 200 anos, Mary impulsionou o género que hoje chamamos de ficção científica. No dia 16 de junho de 1816, nasceu o monstro.

Os elogios à sua obra foram tremendos e, ainda hoje, Frankenstein é lido e conquista leitores ao redor do mundo. E, segundo nos parece, é um clássico que continuará a fazer as delícias dos leitores.

Quanto ao filme em si, vi críticas tão más, mas, no entanto, não tenho grandes defeitos a apontar-lhe. Penso que, de um modo geral, retrata bem a vida de Mary, o seu amor por Percy Shelley, os dramas familiares e até as histórias de segundo plano, como a de John Polidori, estão enquadradas.

O único aspeto que posso atacar é o facto de, por vezes, o filme se tornar confuso. Isto porque, como sabemos, Mary e Percy Shelley viajaram muito, por toda a Europa. E essas viagens estão, de certo modo, presentes no filme. No entanto, não me recordo de alguma vez terem sido feitas referências ao local onde se encontrava a ação, o que pode dar a entender que a vida de Mary se desenrolou só e apenas no Reino Unido - o que não é, de todo, verdade!

É realmente um filme obscuro, melancólico e, arrisco-me a dizer, um filme que nos transmite um sentimento de solidão e melancolia muito grande. A vida de Mary Shelley, segundo sei, não foi muito diferente.

XXXXx.png

★★★★★★★☆☆☆

7/10 - Bom

 

E vocês que têm a dizer sobre Mary Shelley ou sobre a sua mais famosa obra, Frankenstein?

 

 Até breve! 😊