Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

mar

literatura, cinema e afins

mar

literatura, cinema e afins

Sab | 30.06.18

Cinema | Opinião: "I, Tonya"

Mar Pereira

123.PNG

Título: I, Tonya 

Ano: 2017

Género: Biografia, ComédiaDrama

Diretor(a): Craig Gillespie

Principais Atores: Margot RobbieSebastian StanAllison Janney

IMDb7,7/10

Sinopse: Eu, Tonya é um retrato, por vezes absurdo, trágico e hilariante, da mulher no centro do maior escândalo na história do desporto, Tonya Harding. Tonya (Margot Robbie) dominou o gelo com um desportivismo sem precedentes, mas acabou por aparecer nas manchetes dos jornais por razões muito diferentes. Esta é a história de como Tonya, uma patinadora artística americana, viu o seu futuro no mundo do desporto posto em risco, quando se viu envolvida num violento ataque à sua rival, Nancy Kerrigan, mesmo antes das Olimpíadas de Inverno de 1994 em Lillehammer.” (RTP)

XXXXx.png

Livre de spoilers

 

Chega este mês às salas de cinema portuguesas, entra na corrida ao Oscar de Melhor Atriz e Melhor Atriz Secundária e retrata uma história verídica. I, Tonya é o espelho da vida mais do que complicada da patinadora americana Tonya Harding.

 

Capturar.PNG

 

 

Não vou negar que fiquei um bocadinho desiludida quando acabei de ver este filme. Estava há muito tempo à espera de I, Tonya – costumo gostar muito dos filmes da Margot Robbie e, portanto, sabia que este era um filme a ser visto – e estava com as expectativas um bocadinho altas.

Não é que o filme seja mau – porque não é, de todo! -, simplesmente não foi daqueles filmes que me deixasse completamente arrebatada e boquiaberta. É um filme simpático, no sentido em que funciona bem para passar um bom bocado.

Para mim, e sendo muito sincera, o que realmente brilha neste filme não é a história em si (que tem a sua parte de interesse e intriga), mas sim as prestações dos atores, que potenciaram, e de que maneira, o filme. Destaco, evidentemente, a Allison Janney (The HelpJuno) que interpretou uma mãe sem misericórdia ou ponta de carinho pela Tonya de uma maneira irrepreensível. Que papelão! Já só vejo o Oscar de Melhor Atriz Secundária a ser-lhe entregue.

 

Capturar.PNG

 

 

No final, e apesar da pequena desilusão e balde de água fria que apanhei, e de não ter considerado a história assim tão boa, I, Tonya valeu bem o tempo empregue. Despertou em mim diversos sentimentos: ora raiva, ora pena. Fez-me rir e chorar. É, portanto, um bom filme que recomendo!

 

XXXXx.png★★★★★★★☆☆☆

7/10 - Bom

 

 Até breve! 😊