Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mar

literatura, cinema e afins

mar

literatura, cinema e afins

Qua | 19.12.18

Literatura | Um Ano a Ler Eça de Queiroz

Mar Pereira

Quem acompanha com atenção as minhas leituras sabe que, em 2018, descobri aquele que é, até hoje, muito provavelmente, o melhor livro que alguma vez li – Os Maias. Podem consultar o meu diário de leitura aqui.

Ora, depois daquele livro, ficou claro para mim que era para ler toda a obra de Eça de Queiroz, mas moderadamente, porque é um recurso limitado e reler nunca será uma experiência idêntica à primeira leitura, por muito bom e surpreendente que continue a ser. 

Imagem relacionada

 

No entanto, como, felizmente, ainda temos um número considerável de obras do autor no mercado, quero começar a conhecer mais da obra de Eça em 2019. Assim surgiu o projeto Um Ano a Ler Eça de Queiroz.

 

eça 2.PNG

Um pouco à semelhança de projetos como o Um Ano com a Jodi (organizado pelos canais Books & Movies, A Miúda Geek e Jardim de Mil Histórias), pensei em definir um determinado livro para um determinado mês e, após a leitura, organizar uma discussão. Mas eu eu quero que este projeto seja o mais livre possível e, portanto, não é assim que vai funcionar.

Basicamente, o projeto consiste em ler, pelo menos 1 livro de Eça ao longo de 2019. Qualquer livro de Eça de Queiroz serve: tanto pode ser Os Maias, como a Tragédia da Rua das Flores, ou O Mandarim. O/a título/obra é indiferente. Ou seja, cada um pode traçar a sua meta de leitura. O importante é mesmo ler-se mais Eça de Queiroz. Tanto podem participar com 1 livro, com 6 e, quem sabe, até com 12.

A minha meta pessoal é ler, pelo menos, 6 livros de Eça ao longo de 2019 (assumindo que 1 livro me demorará 2 meses a ler), de modo a, todos os meses, ter uma nova história desse senhor na mesinha de cabeceira. 

A acrescentar a isto, resta apenas dizer que sempre que publicarem uma foto com um livro do Eça referente a este projeto devem usar #UmAnoALerEçaDeQueiroz e, caso publiquem opiniões (em canais, nos blogues, no goodreads, no instagram,...) devem usar novamente #UmAnoALerEçaDeQueiroz.

 

EM TRAÇOS GERAIS

  • Ler, pelo menos, 1 livro de Eça de Queiroz durante o ano de 2019;
  • A escolha do livro é totalmente autónoma (embora se possam sempre organizar leituras conjuntas);
  • Sempre que publiquem uma foto e/ou opinião de um livro lido para o projeto devem usar #UmAnoALerEçaDeQueiroz.

 

Sempre que começar a ler um novo livro de Eça, venho dar-vos novidades pelo blogue, assim como vou também tentar partilhar alguns textos/artigos referentes à obra geral de Eça de Queiroz. 

Quem vai participar? Têm recomendações de livros do Eça? 

Caso tenham ficado com alguma dúvida, posso tentar esclarecê-la nos comentários.

 

Até breve! 😊

instagramtwitter | goodreads | mareads21@gmail.com

 

Seg | 17.12.18

Literatura | TAG: 42 Perguntas Literárias

Mar Pereira

A Silvéria, do The Fond Reader, marcou-me para responder a 42 perguntas literárias. Vamos a isso!

1. Gostas de ler?

Sim! 

2. Qual foi o último livro que leste? Qual a tua opinião sobre ele?

Terminei há poucos dias de ler Manual para Incendiários e Outras Crónicas, de Luís Carlos Patraquim, e gostei, apesar de ser um livro bastante diferente do que costumo normalmente ler.

3. Com que frequência lês?

Depende. Gostava muito de ler todos os dias, mas, com as aulas, os testes, os trabalhos nem manter uma rotina de sono estável é fácil, quanto mais arranjar tempo para dedicar à leitura... Mas, quando estou de férias, leio todos os dias.

4. Qual foi o último mau livro que leste.

Não é que tenha sido propriamente mau, mas o Agora e Para Sempre, de Jenny Han, deixou-me extremamente desiludida...

5. O que te faz não gostar dum livro?

Uma má escrita, sucessão de frases feitas, uso excessivo de clichés,...

6. Gostarias de ser escritora?

Quem sabe, um dia :)

7. Um livro que influenciou a sua vida

Uma Escuridão Bonita, de Ondjaki. Foi um dos primeiros livros que li e tenho a ele associadas memórias que serão muito difíceis de apagar. É um livro excelente, já agora.

Mas acho que este bichinho dos livros só se entranhou mesmo aquando da leitura d'Os Jogos da Fome, de Suzanne Collins.

8. Lês literatura erótica?

Não.

9. Escreverias um romance erótico?

Não.

10. Qual é o teu livro e/ou série favorito?

Sou um bocadinho contra estas questões, porque, de tantos livros que nos passam pelas mãos, elevar um (e apenas um) ao topo das preferências soa quase a uma traição para com todos os outros livros bons que lemos. Mas, ainda assim...

Se falarmos de um livro único, a resposta é fácil e [quase] óbvia: Os Maias, de Eça de Queiroz.

Quanto a séries, é uma luta renhida entre Os Jogos da Fome e Harry Potter

11. Escritor/a favorito/a. 

Afonso Cruz e Ondjaki. (Apesar de ainda não ter lido o suficiente de Eça para o considerar um favorito, sei que, mais tarde ou mais cedo, também fará parte desta lista.)

12. Género literário favorito. 

Não tenho um género que goste particularmente. Há uns tempos, lia fundamentalmente distopia, mas as coisas têm vindo a mudar, logo, não consigo responder a esta pergunta...

15. Género literário que não lês.

Terror.

16. Ficas sempre na tua zona de conforto na leitura?

Não. Tento sempre ler de tudo um pouco, daí a uma estante ser uma grande misturada de géneros e não conseguir eleger um género favorito. 

17. Livros físicos ou e-books?

Livros físicos, sem dúvida alguma!

18. Onde aprendeste a ler e/ou quem te ensinou as primeiras letras?

Lembro-me de saber escrever o meu nome quando saí da pré-escola, portanto deve ter sido nessa altura que aprendi a escrever. A ler só na escola, mesmo.

19. Os teus hábitos de leitura mudaram depois de teres o blog/canal?

Ainda não.

20. Livro favorito na infância?

Lendas do Mar, de José Jorge Letria, Contos de Perrault (tradução de Maria Álberta Menéres) e Anjos de Pijama, de Matilde Rosa Araújo.

21. Personagem favorito. 

Esta é fácil: Hermione Granger. 

22. Algum livro já te transportou para outro lugar?

É um dos maiores benefícios da leitura: viajar sem ter de pagar bilhetes.

21. Livro que gostarias que tivesse uma sequência.

Apesar de achar que o livro fechou da melhor maneira possível, gostava de acompanhar um pouco mais da história do Carlos da Maia. Que terá acontecido depois ao pobre coitado?

22. Livro que não necessitava de uma sequência.

Não li A Herdeira nem A Coroa [Saga A Seleção, de Kiera Cass], mas acho que o final d'A Escolha foi bom o suficiente e não havia necessidade de acrescentar mais nada, nem que fosse num outro contexto e com uma outra personagem principal. Mas vou ver se, um dia, ainda pego nesses dois livros.

23. Qual o teu pior hábito de leitura?

Agora já não tenho esse hábito, mas, há uns meses atrás, lia sempre a última frase do livro que estava a começar a ler. Porquê? Não descobri, até hoje.

24. Quanto tempo levas a ler um livro?

Depende de muita coisa, mas, normalmente, em tempos não muito atarefados, umas duas semanas. Em tempo de férias, uns meros dias chegam-me para ler um calhamaço.

25. Gostas quando um livro é adaptado ao cinema/televisão?

Sim!

26. Livro arruinado pela adaptação ao cinema.

O filme A 5ª Vaga não é lá muito bom, não...

27. Lês jornais ou revistas? Qual preferes?

As minhas revistas literárias favoritas são a Estante, da Fnac, e a BANG!, da Saída de Emergência.

28. Lês na cama, casa de banho, automóvel, autocarro, praia, jardins públicos ou cafés?

Nunca li na casa de banho, de resto, acho que já li em todo o lado. Metro, comboio, camioneta, carro, na sala de espera do dentista...

29. Local favorito para ler.

Na praia e na cama. 

30. É difícil concentrares-te na leitura?

Se o dia foi complicado e cansativo, sim. Mas fora isso, não é costume.

31. Precisas de silêncio total para ler?

Normalmente, não.

32. Quem te transmitiu o amor pela leitura?

Duas professoras de Português que tive no Ensino Básico de quem nunca me vou esquecer. Tiveram um papel fundamental na minha vida.

33. Escritor/a que gostaria de entrevistar.

Não tenho muito jeito para entrevistar pessoas, mas, se pudesse, entrevistava a Chimammanda Ngozi Adichie ou o Afonso Cruz.

34. Escritor/a que daria um/a excelente amigo/a.

Acho que me ia dar muito bem com a Chimamanda Ngozi Adichie.

35. Livro que releu mais vezes?

Não tenho por hábito reler livros, mas, quando era criança, relia constantemente aqueles livros favoritos de que vos falei anteriormente.

36. Escritor/a clássico favorito/a?

Não li o suficiente de nenhum para o estampar com o carimbo de favorito, mas, mais uma vez, arriscaria no Eça.

37. Livros que deviam ser indicados na escola.

Todos Devemos Ser Feministas (Chimammanda Ngozi Adichie), O Paraíso São os Outros (Valter Hugo Mãe) ou Vamos Comprar um Poeta (Afonso Cruz).

38. Livros que deviam ser banidos da escola.

Nenhum.

39. Preferes ler um livro de cada vez ou vários ao mesmo tempo?

Vários ao mesmo tempo. Um para transportar, outro para ler em casa.

40. Qual a tua política de empréstimo de livros?

Não tenho problema em emprestar, desde que não dobrem os cantos das páginas. Ah, e convém também que mo devolvam, se possível, em bom estado. 

41. O que estás a ler?

De momento, estou a ler o Paranoid Park, de Blake Nelson.

42. Qual será a tua próxima leitura?

Qualquer livro desta lista é uma possível próxima leitura.

 

Passo esta tag à Bárbara (Café com Bolachas e Chocolate) e à Angie (The Little Angie). Mais uma vez, obrigada à Silvéria por me ter passado a tag e, caso alguém esteja interessado em responder à mesma, sinta-se marcado também!

 

Até breve! 😊

instagram | twitter | goodreads | mareads21@gmail.com

Qui | 13.12.18

Literatura | Livros até 5€

Mar Pereira

Os livros são, normalmente, objetos dispendiosos, portanto, quando um leitor encontra uma pechincha, não exita em aproveitar. Certo que grande parte dos livros que saem para o mercado, hoje em dia, têm preços relativamente altos (cada livro deve custar à volta de 18€ - quando não é mais -, tendo em conta que vivemos num país onde o salário mínimo é de 580€, vemos que, realmente, a compra de livros é algo que não sorri particularmente às nossas carteiras).

 

No entanto, se procurarmos, nos catálogos das editoras, livros editados há 7/8 anos, vemos que os mesmos são vendidos, em alguns casos, a preços bem mais acessíveis. É tudo uma questão de procurar e saber estar informado, porque nem só os mais recentes livros são bons. Os livros de que vos falo hoje foram, um dia, novidades, mas, agora, passados estes anos, são vendidos a preços mais amigáveis e não é, de todo, isso que lhes retira (ou acrescenta) qualidade. 

 

1. Fado, de José Régio.

Poesia de um autor português do séc. XX. Um retrato real e quase bruto do nosso país.

 

123.jpg

Fiz uma opinião sobre ele, que podem consultar aqui.

 

2. Cartas Amorosas de uma Religiosa Portuguesa, de Soror Mariana Alcoforado. 

Escritas por uma freira apaixonada por um soldado francês, no séc. XVII, estas cartas são algo de extraordinário. Felizes, inseguras, tristes. Fases passadas por uma pessoa apaixonada. 

Senti-me uma intrusa a ler estas palavras, porque não me são a mim dirigidas e, possivelmente, nem a elas deveríamos ter acesso de tão íntimas e pessoais que são. Mas ainda bem que temos, pois são uma autêntica obra de arte. É de partir o coração. 

 

Cartas Amorosas de uma Religiosa Portuguesa

 

3. Manual Para Incendiários e Outras Crónicas, de Luís Carlos Patraquim.

Não há grande sinopse que se possa dar a este livro, de um autor moçambicano de quem nunca tinha ouvido falar. 

Recheado de recomendações livrólicas (desde livros, a autores,...), é uma leitura rápida, perfeita para qualquer época do ano e para intercalar com leituras mais pesadas ou demoradas. 

 

Wook.pt - Manual para Incendiários e Outras Crónicas

 

4. Coisas que Nunca Aconteceriam em Tóquio, de Alberto Torres Blandina.

Este é um daqueles por quem não damos nada, mas, no final, apanhamos uma surpresa valente. Coisas que Nunca Aconteceriam em Tóquio conta a história de um empregado de um aeroporto, quase na idade da reforma, que tem por hábito meter conversa sobre os passageiros - sobre tudo, sobre nada. Leiam, é muito interessante (além de ter uma edição estupenda)!

 

Wook.pt - Coisas Que Nunca Aconteceriam em Tóquio

 

5. Vale a Pena? Conversas com escritores, de Inês Fonseca Santos.

Conseguem comprar este livro por pouco mais que 3€ (faz parte de uma coleção das publicações Francisco Manuel dos Santos, que tem sempre livros a preços acessíveis) e, digo-vos, de toda a lista, este é capaz de ser o meu favorito. Neste pequeno livro, Inês Fonseca Santos osculta o mercado editorial português, falando com escritores, como Afonso Cruz. Não sou uma grande leitora de não-ficção, mas, quando se trata de livros sobre livros e sobre escrita, sign me up

 

Wook.pt - Vale a Pena? Conversas com Escritores

Fiz uma opinião sobre ele, que podem consultar aqui.

 

EXTRA: Mulheres, de Carol Rossetti.

Este livro custa 8€, mas, ainda assim, pode ser considerado uma pechincha, sobretudo tendo em conta o tipo de livro que é. 

Acho que não me preciso de pronunciar muito sobre ele. Aliás, tudo o que eu possa eventualmente dizer não faz juz ao livro. 

 

Wook.pt - Mulheres

Fiz uma opinião sobre ele, que podem consultar aqui.

 

E para vocês, qual foi a maior pechinha livrólica que já encontraram? 

Acho que o meu máximo foi ter comprado um livro da Agatha Christie a 0,50€ numa feira de velharias (e o livro está em boas condições). 

Espero que as dicas tenham sido úteis e, caso tenham alguma recomendação a fazer, sintam-se à vontade para a fazer nos comentários. 

 

Até breve! 😊

instagram | twitter | goodreads | mareads21@gmail.com